Tem uma história picante para contar? Registe-se grátis e participe | senha?          

Histórias picantes em português, conte a sua também  


quente & picante home  Contos Eróticos arrow Heterosexual arrow Comi o Cu da Cunhada, Evangélica e Safada 




ID: 313 | Conto erótico Fictício
Autor: Led2006
Em Português de Brasil
Adicionado: 2010-11-17 14:54:27
Hits: 58433
Os contos eróticos de: Marcos


10

Comi o Cu da Cunhada, Evangélica e Safada

Tags: Hetero,  Oral,  Vaginal,  Anal,  Masturbação e Gozo Facial



Vou relatar o que aconteceu a mais ou menos 6 anos atrás. Na época tinha 35 anos, sou o caçula entre 05 irmãos. Tudo aconteceu quando comecei a reparar minha cunhada, percebi o quanto era gostosa. Meu irmão casado pela segunda vez, bem mais velho que ela com 56 anos, ela com 35 anos, por coincidência a mesma idade minha.
Uma mulher alta de 1,75, loira, pernas torneadas, seios grandes, uma bunda de deixar qualquer homem louco, o famoso mulherão, um tesão, linda, linda? Linda, assim irei chamá-la, pois combina com seu nome.
Era a razão das minhas punhetas na hora do banho, apesar de sair com várias mulheres, meu tesão era enorme, várias vez sonhava trepando com Linda.
Sua bunda me deixava louco, precisava achar um meio de trepar com ela, esqueci que era cunhada, do meu irmão, esqueci de tudo, queria trepar.
Mas não tinha chance, Linda era séria, por ser evangélica parecia que seguia tudo a risca, na mais perfeita ordem. Precisava achar algo para poder chegar, mas estava difícil. Até que certo dia a sorte me sorriu, estava no aniversário da minha sobrinha, escutei uma conversa, Linda e sua irmã. Combinavam tirar fotos em sua casa para colocar no Orkut, fiquei curioso para ver tais fotos. Através do Orkut da minha sobrinha, entrei no de Linda, mas infelizmente as fotos estavam bloqueadas.
Precisava ver as fotos, mas como? Tive uma idéia, conversei com uma amiga ou vamos dizer mais que isso, já havia trepado com ela várias vezes. Mara (seu nome) entrou no Orkut de linda e pediu para ser add. Passaram vários dias e Linda não havia aceitado o convite. Mara havia me passado a senha para poder olhar. Fiquei impaciente, até que quase tive um ataque Mara tinha sido aceita. Cliquei no link e acessei o Orkut. Eram fotos maravilhosas, poses sexy, de biquíni, soutiem, minúsculas calcinhas, deixando a mostra aquela bunda deliciosa, tinha uma mancha na nádega direita (tipo da Angélica na perna).
Posso dizer para vocês, neste dia me acabei na punheta, e comecei arquitetar um plano, comecei a bater papo no MSN como se fosse a Mara. Linda entrou na minha, passei vários dias, Linda se abria, contou várias coisas, vontades e desejos. Até que resolvi dar o golpe, numa conversa no MSN disse:- LINDA EU TE CONHEÇO! E PESSOALMENTE, SEI PRÁTICAMENTE TUDO DE VOCÊ! Demorou algum tempo para responder, de repente: - COMO ASSIM ME CONHECE? DE ONDE? NÃO ME LEMBRO DESTE NOME MARA! Quando disse: NÃO ME CHAMO MARA! MEU NOME É MARCOS (Nome errado), SOU HOMEM, CONHEÇO VOCÊ, SEU MARIDO, SUA FAMÍLIA! E POSSO DIZER NÃO IMAGINAVA QUE VOCÊ FOSSE TÃO GOSTOSA!
Ficou sem digitar por mais de minuto até que: - MAS QUEM É VOCÊ! NÃO CONHEÇO NINGUÉM COM ESTE NOME! O QUE VOCÊ QUER? Respondi na hora rsrs: - QUERO TREPAR COM VOCÊ! TENHO O MAIOR TESÃO NO SEU RABO! Quando escrevi esta mensagem, Linda saiu do MSN imediatamente. Entrei no Orkut para deixar um recado havia deletado também, Mas não tinha problema, tinha todas as fotos salvas.
Arquitetei um plano iria a sua casa com as fotos e mostraria a Linda, ela teria que fazer o que eu quisesse, ou mostraria as fotos para o seu marido (meu irmão).
Deixei o barco correr enquanto me acabava na punheta olhando as fotos, meu tesão aumentava a cada dia.
Quando soube que meu irmão iria viajar a serviço e ficar alguns dias fora, pensei o momento seria este.
No dia em que viajou meu coração palpitava mais forte, estava nervoso, com medo do que poderia acontecer, mas não desisti, coloquei o plano em ação.
Era por volta das 13 h, dirigi-me a casa de Linda, lá chegando parei diante o portão, olhei a campainha, estava nervoso, não podia desistir. Apertei o botão, quando ouvi a voz de Linda:- POIS NÃO, respondi: - OI! É O BETO ( Fictício), O MEU IRMÃO ESTÁ? Fingi não saber da viagem. – NAÕ ELE VIAJOU! MAS ENTRA, FAZ TEMPO QUE NÃO VEM AQUI NOS VISITAR! Este era o convite que queria ouvir.
Quando entrei quase desmaiei, Linda estava com uma saia acima dos joelhos uma camiseta branca, a qual realçava ainda mais os seios. Fiquei olhando, viajando, quando a voz de Linda me trouxe a razão. -OI! BETO! VOCÊ SUMIU! O QUE O FEZ APARECER POR AQUI!
Fui simples e objetivo:- VOCÊ! Linda olhou-me sem entender nada:- EU? NÃO ENTENDI! Respondi: - DEIXA EXPLICAR SABIA QUE MEU IRMÃO NÃO ESTARÍA AQUI! Quando Linda foi falar, eu disse: - ESPERE ME DEIXE TERMINAR DE FALAR O QUE VIM FAZER! OUÇA DEPOIS VOCÊ FALA!
Sem entender mais ainda, balançou a cabeça num sinal afirmativo. Fiquei parado alguns segundos, pensando, é agora ou nunca, devo desistir desta loucura, ou vou em frente? O desejo falou mais alto. Expliquei a Linda que a pessoa que ela conversava no MSN com o nome de Marta era eu, que deu o nome de Beto e falou (escreveu) dos desejos que sentia por ela. Agora não Tinha mais volta.
Linda parecia que ia ter um ataque: - VOCÊ TEVE CORAGEM DE FAZER ISTO COMIGO? NÃO RESPEITOU SEU IRMÃO NEM A MIM! Agora tinha que ir em frente:- E VOCÊ? POR ACASO, RESPEITOU AO MEU IRMÃO? COLOCANDO ESTAS FOTOS NA NET! Estiquei a mão e entreguei o envelope.
Abriu, olhou as fotos, escolhi as mais reveladoras, olhou sem jeito, nada disse. – E AGORA SE EU MOSTRAR PARA ELE, PARA A MINHA FAMÍLIA! COMO VOCÊ VAI FICAR? Linda olhou-me, vi lágrimas nos olhos:- BETO, POR FAVOR, FOI SÓ UMA FANTASIA, NUNCA DESRESPEITEI SEU IRMÃO! POR FAVOR, NÃO FAÇA ISSO COMIGO!
-LINDA, ME PERDOE, MAS NÃO RESISTO A TUDO ISSO, QUERO VOCÊ! SINTO UM TESÃO ENORME!
-MAS BETO SOU SUA CUNHADA! POR FAVOR!
- NÃO ME IMPORTO COM ISSO, OU VOCÊ FAZ O QUE EU PEDIR, OU VOU MOSTRAR AS FOTOS.
- FAZER O QUE VOCÊ PEDIR? ESTÁ FICANDO LOUCO?
- NÃO CUNHADINHA! NÃO ESTOU! MAS É MELHOR DO QUE TODOS VEREM ESTA FOTOS!
Linda ficou calada, sem nada dizer, talvez não acreditasse no que estava acontecendo, talvez esperasse acordar de um sonho ou pesadelo e suspirar aliviada.
Mas infelizmente não era sonho, voltou à realidade.
-ESTÁ BEM O QUE VOCÊ QUER PELAS FOTOS? COMO VOU SABER QUE IRÁ CUMPRIR SUA PROMESSA?
- QUE É ISSO, SOU UM HOMEM DE PALAVRA1
- EU QUERO VOCÊ! QUERO TRANSAR! TREPAR, ENTENDEU?
- POR FAVOR, NÃO! ME PESSA OUTRA COISA! OK! JÁ SEI! TE MASTURBO.
Ao ouvir estas palavras quase gozei rsrsrsrs, pensei consegui, mas fui cara de pau.
- O QUE CUNHADINHA! SÓ UMA PUNHETINHA? PARA COM ISSO.
Então vamos fazer o seguinte, você tira a roupa fica nua, isto é para dar mais tesão, bate uma punheta e deixa e gozar na sua boca.
-NÃO ISSO JAMAIS!
- OK! ENTÃO TACHAU!
Virei às costas e fui saindo dizendo:
-PODE FICAR COM AS FOTOS TENHO TODAS!
Não havia dado dois passos ouvi sua voz:
- ESPERE! POR FAVOR! EU DEIXO!
Virei, fui a sua direção, parei a sua frente, olhou-me nos olhos, como que querendo me trucidar. Cheguei mais perto, abracei-a, puxando-a de encontro ao meu corpo, tentou afastar-me com as mãos em meu peito, segurei firme, meu pau ficou duro imediatamente, estava de bermuda. Linda era quase da minha altura o que proporcionou encostar o cacete praticamente entre suas pernas. Beijei seu pescoço, a cada gesto meu, tentava recuar..
- CARAMBA! LINDA, ASSIM NÃO DÁ! ESTÁ FUGINDO DE MIM?
- EU FALEI QUE TE MASTURBAVA E CONSENTI VOCÊ EJACULAR EM MINHA BOCA! SÓ ISSO.
- HUM! MENININHA BRAVA! MAS NÃO ESQUEÇA QUE TERÁ QUE FICAR NUA!
NÃO! NÃO ME ESQUECI! VOU TIRAR A ROUPA! Parecia briga de criança.
- CALMA MENINA! DEVAGAR, TEMOS TEMPO DE SOBRA!
Virei a de costas para mim voltando a abraçá-la, agora encostando o pênis, entre as nádegas, a fonte do meu desejo, do meu tesão incontrolável. Sentia a bunda maravilhosa, por baixo da saia, ao passar a mão percebi que usava uma minúscula calcinha. Linda estremeceu, não sei se de nervoso ou excitação.
Agora não tinha mais volta segurei sua camiseta e puxei para cima, por trás agarrei os seios por cima do soutiem, Linda tirou minhas mãos, eu sorri.
- NÃO DEIXEI VOCÊ ME APALPAR, FAREI SÓ O QUE DISSE!
- OK! CUNHADINHA! CALMA! É QUE NÃO RESISTO! ESTÁ SENTINDO MEU PAU NA SUA BUNDINHA? VAI DAR PRÁ MIM?
- OU VOCÊ PARA COM ISSO, OU NÃO FAÇO MAIS NADA! PODE MOSTRAR AS FOTOS! AI EU CONTO TUDO O QUE VOCÊ FALOU E ESTA FAZENDO!
- CALMA! VAMOS FAZER O PROMETIDO!
Enfiei as mãos por baixo da saia e tirei a calcinha, senti o contato com a pele nua, se demorasse, iria gozar só de roçar.
Deixei a calcinha cair aos seus pés, ela levantou uma perna, depois a outra, jogando a calcinha para o lado, afastei-me um pouco e soltei o feixe do soutiem, Linda se desfez com o mesmo gesto jogando ao lado, ela foi tirar a saia, falei:
- NÃO! FICA COM ELA! DÁ MAIS TESÃO! VIRE-SE PARA MIM! AGORA LEVANTE A SAIA!
Meu Deus quase morri, tive um ataque, que boceta linda, via apenas um corte, toda depilada, tive vontade de me atirar em cima, cair de boca, chupar Até sentir seu gozo, mas apenas disse:
- SENTE-SE NO SOFÁ!
Tirei a camiseta ficando apenas de bermuda, Linda olhava para o volume, seus olhos brilharam, tinha certeza que também estava excitada, mas era uma mulher incrível, sabia se comportar, se conter.
- AGORA CUNHADINHA É COM VOCÊ! TIRA MINHA BERMUDA, E FAÇA O QUE PROMETEU!
Senti suas mãos tremendo quando foi descendo o bermuda, deixando cair aos meus pés.
- AGORA A CUECA!
O volume do meu pau duro na cueca era enorme, não sou tão bem dotado, mede 18 cm, ganha na grossura e na cabeça saliente, parecendo um cogumelo.
Linda abaixou a cueca, meu cacete pulou quase batendo em seu rosto, olhou assustada ou sei lá o que, mas não tirava os olhos.
- PODE COMEÇAR MINHA MENINA!
Linda segurou com delicadeza e talvez vergonha, sua mão quase não fechava em torno, realmente é grosso. Começou um punheta bem cadenciada, indo e vindo levemente com a mão, sem tirar os olhos, cobria e descobria a grande, me causando um prazer enorme. Um arrepio percorria meu corpo como se tivesse levado um choque, aos poucos foi aumentando os movimentos, acho que queria me fazer gozar o mais rápido, estava uma loucura.
-ISSO CUNHADA! VAMOS! ISSSSSO! TESÃO! VOU GOZAR NA SUA CARA! VAMOS MINHA PUTINHA!
- Ouvi a voz de Linda, trêmula:
- VAI GOZA LOGO! SEU SAFADO! QUE TRAI O PRÓPRIO IRMÃO! GOZA SEU PUTO!
Percebi que ela estava descontrolada, estava nervosa e perdida com tudo aquilo. Segurei sua cabeça e a forcei em direção ao meu pau, para minha surpresa, não reclamou encostou a glande nos lábios. Estava estourando de duro, inchada, mal cabia na boca, forcei senti seus dentes rasparem me arrancando um gemido, sua boca se abriu ao máximo para agasalhar a grande.
Não acreditava no que acontecia bom demais, ganhei uma punheta, agora uma chupeta, o próximo passo era chupar uma boceta e um cu.
Fazia movimentos como se estivesse fodendo, Linda conseguia engolir mais um pedaço, devido à saliva. De vez em quando tirava da boca, respirava e enfiava novamente, comecei a forçar, queria enfiar até a garganta, mas não conseguia. Pensava agora vou foder esta putinha de todas as formas, a fortaleza ruiu, notei que Linda estava com uma das mãos entre as pernas, se masturbava, agora tinha certeza, realmente à fortaleza ruiu.
Continuei forçando meu cacete para dentro daquela boca, senti a cabeça encostar-se à garganta, parecia que suas mandíbulas iriam partir, quando meu pau escorregou para dentro. Linda teve ânsia, seus olhos se encheram de lágrimas, tirei, caiu uma cachoeira de saliva, formando uma ponte da boca a cabeça, escorrendo pelos seios.
-ISSO MINHA PUTINHA, GOSTOSA, CHUPA O PAU CO CUNHADINHO!
- ME FAZ GOZAR MINHA PUTINHA! ISSSSSSSSSSSOOOOOOOOOOO! BOCA GOSTOSA!
- TENHO CERTEZA QUE NUNCA CHUPOU UM CACETE GROSSO ASSIM! CHUPA, TESÃO!
Não estava agüentando mais, soltei um gemido, minhas pernas se retesaram, um arrepio percorreu minha espinha, debaixo até a nuca, perdi a voz, apenas gemido. O tesão sentido naquele momento era inexplicável, só deu tempo para enterrar meu cacete o máximo naquela boca deliciosa e dizer:
- CARALHO QUE TESÃO! ESTOU GOZANDO! TOMA MINHA PORRA CUNHADINHA!
Senti a ejaculação, o primeiro jato saiu com uma força que Linda estremeceu, tentando tirar o cacete da boca, não deixei. Segurei firme sua cabeça, seus olhos avermelharam, parecia que ia vomitar. Nunca tinha gozado tanto, soltei sua cabeça e segurei o cacete punhetando rapidamente. Enquanto escorria porra pelo canto da boca, ainda houve tempo de levar um jato no rosto. Uma cena excitante olhar aquele rosto lindo, uma boca sexy, seios maravilhosos, minha porra escorrendo pela boca, do lado esquerdo do rosto uma gosma esbranquiçada grudada. Cai de joelhos em frente à Linda, tal a intensidade do prazer. Sentia-me sem forças, ofegante, olhando percebi que Linda estava recostada no sofá. Com as pernas levemente abertas e uma das mãos descansando sobre a boceta, percebi que ainda tinha um dos dedos introduzido.
Fiquei olhando, com a respiração ofegante, enquanto me refazia. Aos poucos fui tomando noção do que havia acontecido, foi algo maravilhoso, mas ao mesmo tempo detestável. O que fiz não era certo, mas o desejo falou mais alto.
Olhava Linda suja de porra, com seus olhos fixos nos meus, como me contestando, recriminando, pelo que a obriguei a fazer. Mas agora não tinha volta, e meus pensamentos voltaram a agir.
Estava ali para comer aquela bunda deliciosa e não iria desistir.
Peguei a camiseta de Linda jogada ao chão e passei em seu rosto, nada disse, ficou inerte. Limpei os cantos da boca, inclinei-me e a beijei levemente, não se mexeu. Tornei a beijá-la com mais intensidade. Para meu espanto Linda abriu a boca e aceitou minha língua sugando-a avidamente, com as mãos segurando minha nuca, começou um longo beijo, vultoso, me ascendendo novamente à chama do desejo.
Separamos nossos lábios, nos olhamos, Linda disse-me suavemente:
- POR FAVOR, VÁ EMBORA! NÃO ME FAÇA FAZER COISAS DAS QUAIS IREI ME ARREPENDER AMARGAMENTE!
- JÁ NÃO SEI SE CONSEGUIREI OLHAR NOS OLHOS DO SEU IRMÃO, SEM PENSAR EM VOCÊ!
POR FAVOR!
Coloquei o dedo indicador nos seus lábios, como sinal para não falar, e disse:
- CALMA LINDA! ESTAMOS JUNTOS, AQUI SÓZINHOS, SEI QUE VOCÊ TAMBÉM QUER, E SEI QUE ADOROU!
- ENTÃO MINHA MENINA, RELAXA, VOU LHE DAR MUITO PRAZER!
Dizendo isso fui beijando o pescoço, o colo, enquanto uma da mão tocou seu seio, fazendo seu corpo tremer. Beijei levemente uns dos mamilos, passei a língua enquanto apertava o outro levemente com as pontas dos dedos. Mordisquei, para logo depois chupar mais forte, consegui arrancar um gemido, não de dor, mas prazer.
Enfiei uma da mão entre as pernas, senti a vagina depilada, estava molhada, senti a lubrificação abundante. Passei o dedo entre os lábios, estremeceu, tentou fechar as pernas, não deixei, voltei a lhe beijar.
Senti o clitóris inchado, senti a grandeza da excitação, dedilhei levemente, se contorceu, apertou minha mão, mas de puro tesão, iniciando um leve rebolado.
Pensei, é minha, agora faço o que quiser. Ajoelhei a sua frente, separei o máximo suas pernas. Levantei a saia, tive uma visão, a mais linda boceta que havia visto lábios fechados e delicados. Coloquei cada mão nos joelhos e levantei as pernas mantendo-as abertas, ao tocar os lábios senti o gosto do gozo, a secreção, o cheiro característico.
Louco de tesão chupei loucamente, Linda se contorcia, apertava minha cabeça contra sua boceta, esfregava na minha cara, uma loucura. Enquanto chupava com uma das mãos me masturbava, meu pau estava duro novamente, meu tesão florescia com toda a força.
Linda perdeu a timidez e entre gemidos falava:
- ISSO SEU PUTO! CHUPA MINHA BOCETA! QUERO GOZAR! VAMOS, VAMOS, FAZ O QUE O PUTO DO SEU IRMÃO NÃO FAZ MAIS! ME DÁ PRAZER! FAZ-ME MULHER!
Aquelas palavras entraram no meu ouvido como um estimulante enfiei praticamente três dedos na boceta, arrancando um gemido. Inicie movimentos de vai e vem, sentido que o prazer estava cada vez mais perto. Mas repentinamente me passou pela cabeça ao ouvir Linda esbravejando para fazê-la gozar.
Parei repentinamente, retirei meus dedos daquela carne quente dei a última lambida. Linda pareceu assustada olhou-me nos olhos com as pernas totalmente abertas, como não entendendo o acontecido. Estirei meus braços em sua direção agora em pé, oferecendo minhas mãos, fui atendido por Linda.
Notei que não tirava os olhos do meu pênis, apontando para cima, a glande inchada, brilhante, lubrificada pela secreção lubrificante.
Ficou em pé a minha frente, abracei e beijei-a. fui prontamente correspondido, meu pau encaixou automaticamente entre suas coxas, sendo apertado pelas mesmas.
Beijamos por alguns minutos, nos tocando, sentindo nossos corpos loucos um pelo outro, aos poucos fui me desvencilhando. Virei a de costas, encostei meu pau naquela bunda tão deseja, fiz ajoelhar-se na beira do sofá com os cotovelos apoiados no encosto.
A visão por trás era maravilhosa, uma bunda linda, deliciosa, tinha uma mancha do lado direito próxima à nádega, tipo a da Angélica (na perna), entre as pernas a boceta mais linda que havia visto.
Linda virou o rosto para trás, olhou-me esperando o que viria a acontecer. Segurei meu cacete duro, punhetei algumas vezes, encostei a glande na entrada vaginal. Esta era a posição que mais gostava de trepar.
Linda sentiu a cabeça do pênis, tremeu, passei a entre os lábios, estava toda molhada que chegava a escorrer. A glande encaixou na entrada, peguei a pela virilha e a puxei, enquanto empurrava meu cacete para dentro. Apesar da lubrificação, sua vagina era apertada talvez também pela grossura do meu pau.
Foi uma sensação incrível sentir meu pênis se aprofundar naquela carne quente, olhando aquele corpo delicioso, uma bunda maravilhosa, difícil de descrever. Quando senti meu saco encostar na boceta, nem acreditei, estava todo dentro daquela mulher pela qual cansei de bater punheta, imaginando todo tipo de foda.
Linda ameaçava um tímido rebolado, fiquei quieto olhando aquela bunda balançar levemente, aos poucos foi aumentando os movimentos, me arrancando arrepios de tesão. Agora já movimentava o pau para dentro e para fora, tirava até a metade e enterrava novamente. Gemia baixinho, mas sabia que estava adorando, era uma trepada cadenciada, sem pressa. Queria dar o máximo de prazer e com isso também aproveitar cada momento.
Coloquei as mãos uma em cada lado da sua bunda e a puxava devagar, cadenciando os movimentos, pois não queria gozar. Separei levemente as nádegas, vi toda a razão da minha loucura, o mais lindo cuzinho, rosado, fechadinho, ruguinhas lindas, que demonstravam que nunca havia sido violado.
Aquela visão fez meu pau ficar mais duro, inchar ainda mais de tanto tesão. Levei o dedo indicador à boca e molhei com minha saliva. Encostei a ponta na entrada do anus e fiz pressão, Linda deu um pulo, olhou para trás, como se estivesse brava, balançando a cabeça que não, dizendo: - NÃO! ISSO NÃO, BETO, JAMAIS FIZ ISSO E NEM IREI FAZER!
- CALMA! CUNHADA, SÓ IA FAZER UM CARINHO! É MEU DEDO!
- NÃO INTERESSA, JÁ ESTOU FAZENDO DEMAIS COM VOCÊ, NÃO DEVIA NEM ESTAR AQUI COM VOCÊ!
- CALMA! CALMA! SEI QUE VC ESTÁ ADORANDO! E NUNCA SENTIU UM PAU GROSSO IGUAL AO MEU!
Completei: - JÁ PENSOU ELE TODINHO NO SEU CUZINHO! E ri.
Linda quase deixou o cacete sair da boceta dizendo brava:- NEM TENTE ISSO! JÁ ESTOU TRAINDO SEU IRMÃO E MEUS ENSINAMENTOS!
- ENSINAMENTOS? Pensei, qual.
- SIM! ESQUECEU QUE SOU EVANGÉLICA? E V0CÊ ESTÁ ME FAZENDO FAZER TUDO ISSO!
A está hora tinha até parado de trepar, começamos uma discussão que cortou o tesão, tudo por causa de um dedo no cú.
- MAS CUNHADA SE VOCÊ É EVANGÉLICA, PORQUE COLOCOU AQUELAS FOTOS NO ORKUT?
- COLOQUEI SEM MALÍCIA, E OUTRA EU MESMA AS TIREI, ESTAVA SÓZINHA, TIREI NO ESPELHO, PODE VER QUE TODAS APARECEM A MÁQUINHA EM MINHA MÃO.
- MAS NÃO DEIXA DE SER ERRADO VOCÊ CASADA COLOCAR FOTOS SENSUAIS, AINDA MAIS SENDO EVANGÉLICA COMO DISSE.
Dizendo isso, sentei no sofá ao seu lado, olhou-me não entendendo nada, fixou meu pênis ereto, a puxei fazendo passar uma das pernas sobre mim, ficando com as mãos no encosto do sofá.
Puxei-a para perto de mim, seus seios ficaram praticamente no meu rosto, aproveitei para beijá-los, enquanto acertava o pau novamente na entrada da boceta, fazendo-a sentar enterrando até o fim.
Linda jogou os cabelos loiros e longos para trás subindo e descendo o tesão voltou cada vez mais rápida nos movimentos, eu segurava novamente suas nádegas. Nesta posição passei o dedo na sua boceta, deixando todo melado, pensei, agora vou enfiar de uma vez nesse cu.
Quando Linda menos esperou acertei o dedo na entrada e enfiei, soltou um gemido, a segurei, estava com o dedo atolado naquele rabo delicioso.
- HUM! TIRA POR FAVOR! AÍ NÃO! TIRA!
- CALMA, LINDA, NÃO DOEU, E SEI QUE ESTÁ GOSTANDO! VAMOS, MEXE, REBOLA NO MEU CACETE, COM MEU DEDO ATOLADO NO CU!
- VOU FAZER DE VOCÊ MINHA PUTINHA! DE HOJE EM DIANTE VOU TE COMER, QUANDO QUISER!
Já tinha acostumado com o meu dedo, tirava e enfiava, sentia seu cuzinho relaxando, quando tirei e enfiei dois, soltou um gemido, mas não reclamou estava gostando, tinha certeza disso.
Linda intensificou os movimentos, subia e descia rapidamente, gemia, apertava os seios, aproveitei e coloquei um dos mamilos na boca e chupei loucamente. Enfiava e tirava os dedos do cu de Linda seguindo o ritmo do meu cacete. Ficamos assim por mais uns minutos, eu segurando para não gozar, Linda estremeceu, jogou seu corpo ao encontro do meu, enterrando meu pau até o saco, se esfregou gemendo loucamente:
- VAMOS SEU PUTO! FAZ-ME GOZAR! PÕE CHIFRE NO SEU IRMÃO! É ISSO QUE VOCÊ QUIS! ENTÃO ME FODE! VAMOS SEU PUTO! ESTOU GOZANDO! ESTOU GOZANDO!
Não queria gozar, mas não resisti, gozei junto, enterrei os dedos até o fim naquele rabo, enquanto enchia de porra a boceta de Linda, nos abraçamos nos beijamos. Ficamos colados um ao outro sentindo nossos corpos tremer, minha porra escorria pela boceta, passei o dedo no cu de Linda e o senti mais relaxado, agora iria descansar um pouco e partir para comer um cu.
Ficamos inertes por alguns minutos, de vez em quando nos olhava mos, eu não acreditava no que tinha acontecido pelo jeito ela também não, parecia ainda envergonhada. Levantou-se andando meio cambaleante em direção ao banheiro, ainda com sua saia, seios a mostra cabelos despenteados, ouvi o barulho do chuveiro.
Esperei alguns minutos e fui atrás, Linda estava maravilhosa, com as mãos apoiadas na parede deixando a água cair sobre o corpo, parecia pensativa, talvez arrependida. Assustou-se com minha presença, mas nada disse. Entrei no Box, olhou-me e continuou calada, peguei o sabonete, na posição em que estava, fiquei praticamente atrás, olhando principalmente para sua bunda, pensando ainda falta este cuzinho.
Passei levemente o sabonete nas costas de Linda, ensaboando, senti seu corpo estremecer, continue até chegar a suas nádegas, continuava calada, sem nada dizer. Agora viria o melhor, passei o sabonete entre suas nádegas, enfiando a mão entre as coxas indo até a boceta, fiquei fazendo este movimento por algum tempo, senti que a excitação voltava.
Meu pau começou a dar sinal de vida, Linda suspirava mais rápida, era sinal de excitação, meu pau ficava cada vez mais duro, encaixei por trás entre as coxas, sentindo roçar aquela boceta deliciosa. Abracei Linda, segurando seus seios, agora estava completo, roçava a boceta, sentia a bunda e acariciava os seios.
A água caia sobre nossos corpos, nosso desejo novamente estava à flor da pele. Linda virou-se, passou os braços em torno do meu pescoço e beijou-me, é quase da minha altura, isso possibilitava encaixar facilmente meu cacete entre suas pernas, e foi o que fiz.
Ficamos nos beijando acariciando e a água caindo sobre nossos corpos, coloquei as mãos nos ombros de Linda e a fiz ajoelhar-se. Ao fazer isso, meu cacete ficou na altura do seu rosto. Segurei e encostei nos seus lábios, abriu ao máximo para engolir a cabeça, segurei-a e forcei-a de encontro. Aos poucos engoliu metade, e ficou assim chupando, engolia e tirava, enquanto punhetava, Fodia aquela boca como se fosse uma boceta.
Não me preocupava mais com nada e nem tão pouco Linda, tinha se soltado de vez.
Linda engolia o máximo, pois forçava o que podia, fazendo engasgar, sentir ânsia, o que me deixava com mais tesão, ainda mais por ser minha cunhada. Uma evangélica recatada tinha tomado minha porra, trepado, e agora chupava meu pau em baixo do chuveiro, e logo iria levar no cu.
Saímos nos enxugamos e fomos para a sala, disfarçadamente peguei um vidro de óleo de amêndoas.
Linda sentou-se, estávamos nus, fiquei em pé, tornou a enfiar meu cacete na boca, notei que adorou o pedaço de carne. Mas agora chegou a hora do tudo ou nada, sei que não ia ser fácil convencer a dar o cuzinho para mim.
Ajoelhei-me e cai de boca naquela boceta, abri as pernas e chupei vocês não imaginam a delicia, como é gostosa, só vendo, a preferência nacional, nossa, vocês ficariam loucos de tesão igual a mim. Quando lerem tente imaginar, tentei descrever o melhor possível, (posso enviar fotos) para verem e darem razão a mim, por transar com a minha cunhada.
Coloquei-a de quatro no sofá a posição ideal para se comer um cu. Rsrsrs
Separei as nádegas e chupei novamente a boceta agora por trás (já fizeram isso) enfiava a cara entre as nádegas para a língua alcançar a boceta, a ponta do nariz encostava-se àquele cuzinho delicioso. Agora chegou a vez de cuidar da coisa mais deliciosa que iria saborear. Mantive as nádegas abertas e passei a pontinha da língua na entradinha do anus, Linda tremeu, mas não disse nada, fiquei forçando a ponta da língua, sentia as contrações do anus, piscando para mim.
Só quem já fez isso sabe o quanto é excitante para quem está fazendo e prazeroso para a mulher. Tem homem que tem nojo ou coisa parecida, não sabem o que perdem.
Estava deixando todo lubrificado com a minha saliva, enquanto chupava masturbava Linda, com dois dedos enfiados na boceta.
Minha saliva escorria por entre as nádegas, estava lubrificando aquele buraquinho lindo, que logo seria violado.
Sentia meu cacete novamente ereto, pronto para mais uma batalha, às vezes olhava e não acreditava no que estava acontecendo, parecia um sonho ou seria imaginação. Disfarcei, estiquei o braço e peguei o frasco de óleo que havia colocado ao lado do sofá, abri , derrubei um pouco no pau e fiz os movimentos de masturbação para espalhar e deixá-lo lubrificado. Enfiei na boceta, deslizou docemente, até meus pelos encostarem-se ao rabo de Linda. Peguei o óleo e joguei no buraquinho e espalhei, enquanto fazia os movimentos com os quadris, entrando e saindo levemente, arrancando gemidos e distraindo Linda. O rabo estava todo lubrificado, juntamente com meu cacete. Enfiei, um dedo, depois outro, escorregaram sem problema para dentro até o talo. Fodia o cu com os dedos.
Mas havia chegado a hora que tanto esperei, retirei os dedos, praticamente tirando o pênis da boceta ao mesmo tempo. Encostei à cabeça na entrada segurando a pela virilha, e a puxei. Linda tentou sair, mas não deixei, mas meu cacete parou na entrada.
Linda retesou o anus, não passava nem uma agulha, forcei, mas a grossura dificultava.
- CALMA LINDA! RELAXA! NÃO VOU TE MACHUCAR! ASSIM É PIOR! DEIXA! DÁ ESTE CUZINHO PARA MIM! VAMOS MINHA DELICIA!
Linda respondeu:
- NÃO! JÁ DISSE QUE NÃO! E AINDA POR CIMA É DOLORIDO! SEU PAU É MUITO GROSSO!
Retruquei:
- OK! VAMOS FICAR ASSIM! QUANDO VC RELAXAR, VOU ENTAR ATÉ O SACO! AÍ VOCÊ VAI VER O QUE É DOER!
- DEIXA LINDA! RELAXA! VOU SER CARINHOSO COM VOCÊ!
Com uma das mãos peguei o óleo e joguei próximo a glande e o anus, senti escorrer.
- O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO SEU PUTO!
Disse:
- LUBRIFICANDO MAIS, PARA MEU CACETE ESCORREGAR MELHOR! E ri.
-NÃO TEM JEITO LINDA, VOU COMER SEU CU!
Dizendo isso continuava pressionando a entrada do anus, sem nada conseguir, num gesto, mais em tom de brincadeira dei um tapa na bunda de linda dizendo:
- VAMOS CARALHO, RELAXA ESTE RABO! VOU ENTRAR DE UM JEITO OU DE OUTRO!
Dei outro tapa, não esperava que fosse fazer efeito, parece que se assustou, relaxou, como continuava a fazer pressão, senti meu pau abrindo caminho. Segurei a pela cintura rapidamente com as duas mãos e a puxei, ajudando com o movimento dos quadris. Atolei a cabeça toda, senti o esfíncter se abrindo, Linda soltou um gemido que acho que a vizinhança toda ouviu. Colocou a mão para trás com o braço esticado tentando me empurrar, mas dali não sairia, estava dentro e dentro ficaria.
- CALMA LINDA! A CABEÇA ENTROU! RELAXA E ACOSTUMA! LOGO A DOR PASSA! E O PRAZER VEM!
- TIRA BETO! POR FAVOR! ESTÁ DOENDO! NÃO ESTOU AGUENTANDO!
Disse calmamente, beijando-lhe a nuca:
- CALMA CUNHADA! PROMETO QUE NÃO IREI MACHUCÁ-LA! FAÇA O QUE EU PEDIR, E VAI DAR CERTO!
Fiquei parado sentindo o anel apertar a cabeça do pau, nossa, delicioso, um tesão imaginável, inda mais vendo enterrada naquele cuzinho delicioso, apertadinho.
Aos poucos Linda foi relaxando, sua respiração voltou ao normal, sentia seu cu piscando, apertando o cacete.
Agora chegou a hora tão esperada, comer o cuzinho da cunhadinha com vontade.
Joguei mais óleo, dizendo para se acalmar, que nunca iria esquecer aquela trepada, e ia querer dar o cu para mim muitas vezes.
- VAMOS LINDA! RELAXA! FICA CALMA, FAZ FORÇA PARA FORA COMO SE FOSSE AO BANHEIRO!
- VOCÊ É DOIDO! PARA COM ISSO!
- BOM PROBLEMA SEU! VOU EMPURRAR O RESTO PARA DENTRO! SE NÃO AJUDAR VOU ESTOURAR SUAS PREGAS!
Nunca tinha visto ela tão brava: rsrs
- VAI ESTOURAR É O CU DA SUA MÃE! SEU PORRA DO CARALHO! ESTÁ DOENDO MUITO!
- CALMA FAÇA O QUE DIGO!
Empurrei com força, senti abrindo caminho, Linda gemeu, mas ao mesmo tempo senti seu cu fazendo bico, estava forçando como eu pedi.
Foi um prazer incrível, sentir meu pênis abrindo caminho, aos poucos fui tomando conta, meu cacete penetrava lentamente arrancando gemidos.
Excitava-me mais ainda ouvir os gemidos de Linda, ainda mais quando percebi algumas lágrimas nos seus olhos, pensei em parar. Falei ao seu ouvido:
- CUNHADINHA, QUER QUE PARE? ESTÁ DOENDO MUITO?
Como resposta balançou a cabeça de um lado para outro, negativamente, falando baixinho praticamente gemendo:
- POR FAVOR, NÃO TIRA! MAS VÁ COM CALMA! DEVAGAR! DÓI DEMAIS! ...... MAS É DELICIOSO! FAREI O QUE MANDAR!
Pedi para continuar a fazer força como se estive indo ao banheiro, derrubei mais óleo, mandei que abrisse bem a bunda com as mãos. Prontamente fui atendido, segurei-a pelos ombros, e fui puxando-a de encontro ao cacete.
Não consigo descrever o prazer sentido, fui penetrando um anus virgem, sentindo o reto se abrindo, Linda sabia que iria ser arrombada.
Gemia baixinho, meu pau já estava quase que totalmente atolado naquele rabo, quando com um movimento brusco enterrei o resto, foi até o saco.
Linda gemeu mais alto e ficou inerte, sentindo aquele tarugo de carne violentando bruscamente seu anus, até então virgem.
Ficamos assim por alguns minutos até se acostumar e a dor ir passando, comecei movimentos bem devagar, quase que imperceptível, aumentando gradativamente, arrancando gemidos e suspiros.
Uma loucura, um prazer incrível, estava louco de tesão, tudo que queria estava realizando, comendo o cu da cunhadinha, uma delícia, como queria que sentissem o prazer que senti.
Meu agora sai até a metade enterrando em seguida, aos poucos já tirava até a cabeça e metia novamente, sei que não iria agüentar muito, estava quase gozando, mas não queria.
Linda gemia, agora de prazer, com a mão enfiada na boceta se masturbando e mandando foder gostoso seu cu. Metia com vigor, depois parava meu pau agora deslizava para dentro e para fora, o obstáculo foi vencido, arrombei o cuzinho da cunhada.
Tirei o cacete, abri a bunda de linda e não acreditei, seu cu estava um buraco enorme, pois o esfíncter relaxa, depois voltando ao normal, comecei a brincar, colocava e tirava, colocava e tirava.
Linda não acreditava:
- SEU PUTO VOCÊ ME ARREGAÇOU! NUNCA MAIS VOU SER A MESMA! SINTO MEU CU TODO ABERTO!
- VAMOS SEU PUTO AGORA QUE JÁ ME FODEU! COME MEU CU! ME FAZ GOZAR! ERA ISSO QUE QUERIA! ME FODE COM ESTA ROLA GOSTOSA! METE ESTA ROLA GROSSA NO MEU RABO! ARRANCA MERDA DO MEU CU!
Linda estava descontrolada, mas adorava tudo aquilo, me dava mais tesão ainda, enfiei até o talo e comecei a foder com força.
- TOMA CUNHADINHA! SENTE MEU CARALHO ARROMABANDO SEU CU! É ISTO QUE SEMPRE QUIZ SUA SAFADA! SUA PIRANHA............ MEXE!.MEXE! ESTA BUNDA!.......REBOLA NO PAU DO CUNHADIMHO!

VAI SEU PUTO ARROMBA O RABO DA MULHER DO SEU IRMÃO! POE CHIFRE NAQUELE CORNO, QUE NÃO SABE TREPAR MAIS! NÃO É ISSO QUE QUERIA?..........AGORA ME FODE!...ME FODE GOSTOSO........ME DEIXA SEM SENTAR UMA SEMANA! ........SEU PUTO! VOU FICARCOM DOR NO RABO!.....VAI FODE. ESTOU QUASE .GOZANDO.ISSSSSSSSOOOOOOOO! CARALHO!......QUE TESÃO.... SE SOUBESSE QUE ERA TÃO BOM ASSIM, JÁ TINHA DADO O CU FAZ TEMPO!......VAMOS.....VAMOS.POR FAVOR..FODE..FODE COM FORÇA ................QUERO GOZAR.......VAMOS.........ESTÁ VINDO.HUMMMMMMMM! TESÃO!.......AGORA!....AGORA!
Dizendo isso, totalmente descontrolada pelo prazer, pelo tesão, Linda jogou a bunda para trás, esfregando na minha barriga, enfiando loucamente vários dedos na boceta.

Tremeu , gemeu, suspirando, seu corpo estava todo retesado, senti sua bunda me apertando, o cu parecia que mordia meu cacete, uma loucura. Segurava Linda pelos ombros, mantendo todo meu caralho dentro.

Linda gozou, acho que nunca tinha gozado assim, eu não resisti e logo após, dei mais umas estocadas, quando senti meu pênis inchar, parecia que ia estourar, não consegui me mexer, subiu um arrepio tão forte, aquele tesão que sente na cabeça do pau.
Foi incrível, a força do primeiro jato de porra parecia que tinha estourado minha uretra, jato após jato de porra foi enchendo o cu da cunhadinha, não acreditava o tanto que estava gozando.
Linda parada, quase desmaiada pelo gozo, eu quase indo junto, fiquei alguns minutos curtindo, meu pau foi saindo aos poucos, quando tirei, o cu arreganhado não segurava a porra, escorria por entre as nádegas. Linda assustada olhou-me e disse:
- SEU PUTO VOCÊ ME ARROMBOU! Colocou os dedos entraram facilmente os quatro.
Estava de joelhos na minha frente com a mão no rabo, segurei sua cabeça e enfiei meu cacete em sua boca e disse:
- FICA QUIETA! E CHUPA MEU PAU!....TOMA O RESTO DA MINHA PORRA! ..........DEIXA-O LIMPO! SENTE O GOSTO DO SEU CU! MINHA PUTINHA GOSTOSA! AGORA QUERO TE COMER SEMPRE!
Depois ficamos praticamente jogados no sofá nos recompondo, neste dia não voltei para casa, passei a noite com Linda, onde comi novamente seu cu, claro atendi o seu pedido.
Até hoje mantemos nossas relações, fazemos loucura, fodemos de todas as maneiras, Linda que é apaixonada pelo meu irmão, mas não vive sem trepar comigo. Sei que o relato ficou longo, mas tentei descrever como tudo aconteceu.




Este conto erótico é picante? ... Vote aqui este conto erótico.
Votar agora:  
0


comentários & perguntas ... Aqui pode deixar o seu comentário. O autor será notificado.

quer comentar este conto erótico ou enviar uma mensagem ao autor?

registe se aqui, é rápido e grátis!

apenas utilizadores registados podem entrar em contacto com os autores.




Reportar abuso (Conto erótico / Comentário / SPAM) tooltip


RSS Feeds


 

boca pernas mulher bunda marido prazer homem gostoso gozar gostosa buceta porra seios sexo esposa cacete banho bucetinha chupar anal puta linda amigo boceta enorme rabo putinha chupava quente amiga bundinha beijo corno rola vara gozei amor macho desejo grosso virgem mulheres encontro vagina menina xaninha caralho orgasmo fantasia casal namorada bocetinha gemidos enfiar beijar lamber pescoço molhada rapaz peitos cueca maravilhosa surpresa gozando foda enfiava transar chupei papai xoxota esperma foder rabinho gemer sogra cunhada cusinho putaria ejaculação cona putas puta casada xupando vagininha xixizinho velhote


   
Facebook, Página, Pimentinha, Grupo, Chat quente ...
 
Encontros online com webcam & messenger... O chat mais quente na Net
Envie o seu conto erótico aqui
contos heterosexuais
contos bisexuais
contos de gays
contos de lésbicas
contos de travestis
contos de masturbação
contos bizarros & de fétiche
contos de sado-masobdsm
contos de orgiasexo em grupo
contos de teens18 anitos
contos de zoofilia4 patasanimais
contos no trabalho
contos de traição & viganças
outros contos eróticos


pesquisar:




Categoria
Tipo
Português de
Autor

 






O Quente & Picante é um Portal / Directório de anúncios classificados de acompanhantes profissionais, agências escort, móteis, serviços relax, lingerie, clubes striptease, sex shops, saunas gay, contos eróticos, encontros online, anúncios gay, lésbicas e travesti. Anúncios Classificados destinados exclusivamente a adultos. No Quente & Picante, encontre amor, sexo, flirt e amizade. O Quente & Picante não se responsabiliza pela veracidade dos conteúdos. Todas as fotografias, textos e contactos são da autoria e da responsabilidade dos próprios anunciantes.

É expressamente proibido o acesso a este website a menores de 18 anos de idade.

Não tem 18 anos? clique aqui para abandonar o site.

© 2014 Quente & Picante - Contos Eróticos | 17-Apr-2014

Termos & Condições | webmaster









 
Clique aqui para falar com um operador do Quente & Picante